Um sonho que vivi! San Pedro de Atacama-Chile (Parte I)

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

São Pedro de Atacama (SPA) é um lugar incrível e especial para mim! Tanto que senti uma enorme nostalgia ao comentar sobre essa cidade e suas imediações para uma amiga durante uma ressaca da Oktober Fest em Blumenau.

Os olhos marejados são tanto pelos amigos que fiz por lá, quanto pelas paisagens maravilhosas que pude presenciar.

A cidade é na verdade uma vila que tem em torno de dois mil habitantes e está encrustada no terceiro maior deserto de sal do mundo, o Salar de Atacama, a 2438 metros de altitude e 1500 quilômetros de distância de Santiago.

Assim como São Paulo, SPA também é cortada pelo trópico de capricórnio e isso é algo interessante quando se observa a diferença de clima entre as cidades pelas condições diferentes de relevo.

O que chama a atenção é que SPA alia a modernidade com sua cultura centenária, com diversas pontos de acesso wifi pela ‘calle Caracoles’ (a principal da cidade) e acesso gratuito na praça pública, ao mesmo tempo em que as edificações são de piso térreo e revestidas de adobe.

Fiz todos os principais passeios nos cinco dias que estive por lá e o primeiro deles foi para as ‘Lagunas Altiplanicas’. O passeio inclui a visita a um vilarejo, às lagoas Miscanti e Miñiques e ao Parque Nacional dos Flamingos, com um almoço num restaurante local entre as duas últimas visitas.

O vilarejo tinha de interessante apenas a igreja, cuja torre era separada da nave, algo incomum pelo que observo por onde passo.

Algo não exclusivo do vilarejo, mas que chamou a atenção do pessoal foi o contato com uma Llama (o primeiro de tão perto no meu caso).

Após as amenidades, enfim chegamos ao que interessa: as lagoas, que tem os mesmos nomes dos vulcões que as protegem e cuja primeira vista impressiona a todos, começando pela Miscanti – a maior das duas, que alimenta subterraneamente a Miñiques.

Entre uma lagoa e outra, o guia comentou sobre as rochas do local, que tinham uma certa propriedade que facilitava colocá-las em equilíbrio.

Miñiques é uma lagoa um pouco menor na qual as bordas de sal são mais proeminentes.

Após este cartão de boas vindas, com paisagens maravilhosas, veio primeiro almoço em SPA, com quinoa (acima à esquerda), porotos (esses feijões gigantes), batata roxa e suco de melão.

Em seguida a este almoço apetitoso (exceto pelos porotos), visitamos o Parque Nacional dos Flamingos, que é uma prova de como o ser humano tem degradado o meio ambiente, pois o nível da água neste local era vários centímetros acima do nível atua, assim como o número de animais que era muito maior.

Esta é a primeira parte da descrição de minha viagem por um dos paraísos de nosso planeta!

Anúncios
Deixe um comentário

1 Comentário

  1. Un sueño que viví! San Pedro de Atacama-Chile (Parte I) « Perdidos por el mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: