Manaus, uma das capitais da amazônia

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

Existe uma rixa muito acirrada entre Belém e Manaus, que soa como a Rio-São Paulo, mas na região norte e é este o motivo do título do artigo. A cidade é enorme, mas parece um grão de areia perante a imensidão da floresta amazônica, cujo tamanho colossal me fez interpretar de maneira diferente a frase “Gigante pela própria natureza” contida em nosso hino.

O que chama atenção a todo instante é o calor sufocante, mesmo que eu não tenha chegado no auge das temperaturas.

Minha passagem foi breve e mal planejada, mas pude perceber que a cidade é mal estruturada para receber os turistas, com poucos postos turísticos e pouca exploração da rica história da cidade, que chegou a rivalizar com São Paulo e Rio de Janeiro como o mais importante pólo econômico do Brasil no apogeu da exploração da borracha no final do século XIX e início do século XX.

O maior expoente da opulência do ciclo da borracha é o Teatro Amazonas, que é uma belíssima construção com o que havia de mais moderno e caro na Europa, para demonstrar o poder da cidade. Em frente ao teatro há também uma praça com uma escultura que representa os 5 continentes (sim, esqueceram da Antártida).

Monumento Abertura dos PortosTeatro Amazonas

O encontro das águas dos Rios Negro e Solimões é outro espetáculo que impressiona por vários fatores: o tamanho de cada Rio, o contraste entre as águas e a extensão em que o fenômeno acontece, que é por cerca de dezesseis quilômetros. Este fenômeno ocorre devido às diferenças de densidade das águas e da velocidade das mesmas, o que dificulta a mistura. O rio Solimões é o menos veloz e mais denso, por carregar mais sedimentos, o que também o deixa com a água mais barrenta.

Vitórias-régiasEncontro das águas dos rios Negro e SolimõesCasa e cais no rio Solimões

A saída do passeio para o encontro das águas é no porto da cidade e nele há um painel que demonstra a altura a que chegaram as cheias ano a ano, o que assombra na variação não são os 12 metros entre a seca e a cheia, mas o volume de água necessário para tal, já que em Manaus a largura do rio é de 3 quilômetros e que chega a 96 quilômetros próximo à sua foz! (dados relatados pelo guia)

Níveis máximos do Rio Negra

A curiosidade é aguçada pelas diversas comidas e temperos existentes na região e as diferenças em relação ao sudeste, como o tradicional churrasquinho das ruas que no Rio e São Paulo é de “gato” e em Manaus é de peixe, além do açaí com tapioca e do guaraná, entre tantos outros que não tive a oportunidade de provar. Os remédios naturais também merecem destaque e o óleo de andiroba foi o que usei para tratar de uma ferida na canela e que ajudou na cicatrização.

Resta muito para desvendar sobre Manaus e ainda mais sobre a floresta amazônica, com a qual tive o mínimo contato, mas o suficiente para cativar-me!

Anúncios
Deixe um comentário

1 Comentário

  1. Manaos, una de las capitales de la Amazonía « Perdidos por el mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: