Rio de Janeiro, a cidade maravilhosa (Parte I)

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

O Rio de Janeiro continua lindo e continua sendo a cidade maravilhosa, a cidade brasileira mais conhecida no exterior, foi capital brasileira de 1763 a 1960 e, especialmente por este motivo, concentra muito de nossa história enquanto nação. A ideia é falar de lugares diferentes dos já tradicionais Cristo Redentor, Copacabana ou Ipanema.

Reconhecida também capital da boemia brasileira, o Rio de Janeiro tem na Lapa o principal reduto de bares e da diversão na night carioca, como também o mais democrático deles, pois lá é possível encontrar diversos estilos musicas (forró, rock, samba, eletrônico, etc) e pessoas de várias “tribos”. Entretanto, a imagem mais marcante deste bairro são os famosos Arcos da Lapa.

Arcos da Lapa - Rio de JaneiroLapa - Rio de JaneiroLapa - Rio de Janeiro

Uma grata surpresa para mim foi conhecer o Parque das Ruínas no bairro de Santa Teresa, um parque bem aconchegante, que tem espaço para exposições e uma sala para apresentações, além de uma vista privilegiada da cidade.

Vista - Parque das Ruínas - Rio de JaneiroParque das Ruínas - Rio de Janeiro

Bem próximo do Parque das Ruínas está o Museu da Chácara do Céu, que foi uma casa anos atrás e conta com milhares de peças em seu acervo de artistas nacionais Guignard, Di Cavalcanti, Iberê Camargo, Antonio Bandeira e Portinari (maior acervo público existente), além de artistas internacionais.

Museu Chácara do Céu - Rio de JaneiroMuseu Chácara do Céu - Rio de JaneiroMuseu Chácara do Céu - Rio de Janeiro

O que retrato aqui foi visto em abril de 2011 e não poderia deixar de citar a exposição sensacional do artista francês Thomas Henriot, no Centro Cultural da Justiça Federal, o primeiro do gênero pertencente à Justiça e localizado no prédio do antigo Supremo Tribunal Federal (hoje baseado em Brasília, na praça dos três poderes. Fiquei fã deste artista, que tem um estilo único!

Thomas Henriot - Centro Cultural da Justiça FederalThomas Henriot - Centro Cultural da Justiça FederalThomas Henriot - Centro Cultural da Justiça Federal
Thomas Henriot - Centro Cultural da Justiça FederalThomas Henriot - Centro Cultural da Justiça FederalThomas Henriot - Centro Cultural da Justiça Federal

A trilha para de subida do morro da Urca é o último tópico deste artigo, que tinha falar um pouco sobre a exuberante natureza da cidade. A trilha não apresenta grandes dificuldades ou perigos, tem seu início à esquerda da praia Vermelha e leva de quarenta e cinco minutos a uma hora e meia para ser percorrida, de acordo com o ritmo de cada um. Apesar de não ser aconselhável alimentar os bichos, não resisti em tirar fotos enquanto alguns micos estavam sendo alimentados.

Pista Claudio Coutinho - Morro da Urca - Rio de JaneiroPescadores - Morro da Urca - Rio de JaneiroVisão - Morro da Urca - Rio de JaneiroMãe e filho - Morro da Urca - Rio de JaneiroMacacos comendo  - Morro da Urca - Rio de JaneiroAranha  - Morro da Urca - Rio de Janeiro

Vocês já conheciam todos esses pontos da cidade? Abraços

Anúncios
Artigo seguinte
Deixe um comentário

1 Comentário

  1. Muito legal Rodrigo! Falou de coisas legais da cidade e que não são tão óbvias ao turista porém não menos especiais. Show! Estou ansiosa para saber o q mais vc tem a dizer da minha cidade querida =) Bjão

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: