Guaiaquil, a pérola do pacífico

Original por Roxana M. Q. Fernández

Moderna, dinâmica, pujante e acolhedora, assim é a ‘Guaiaquil de meus amores’; capital econômica do Ecuador a qual todos querem chegar e ficar vivendo.

Guaiaquil, como porto principal do país conta com duas portas principais de acesso muito importantes para o turismo nacional e internacional: o renovado terminal terrestre, com quase quatro anos em funcionamento e que nos faz parecer estar dentro de um shopping, e o aeroporto ‘José Joaquín de Olmedo’, premiado por dois anos consecutivos pelo ranking ACI.

Terminal terrestreAeropuerto

Por que visitar Guaiaquil? porque..

Encontrará ‘Guayacos4‘ que tem sua própria ‘jerga2‘:

    – Habla ahí loco, ¿cómo te baila?
    – Aquí pana, bajoneado. Mi vieja me armó un pitote por mi jeva y me botaron del camello, ando caído.
    – Chuta brother, laca… ponte once para vacilar unas chelas.

Traduzindo:

    – Fala aí amigo, como vai?
    – Aqui amigo, estou triste. Minha mãe causou problemas por conta de minha mulher e me despediram do trabalho, estou mal.
    – Que ruim irmão, fatal… anime-se para tomarmos umas cervejas.

Verá, em pleno centro da cidade, iguanas convivendo com as pombas, as tartarugas e os visistantes que vão ao parque Seminario, somente para admirá-las.

Parque de las Iguanas

Não é preciso alugar um barco para conhecer o Rio Guaias ou o Estuário Salgado, pois somente caminhando ao longo do Malecón 2000 e do Estuário, dá para imaginar que está navegando sobre suas águas calmas.

Malecón 2000Malecón del salado

Porque poderá comer um ‘encebolado3‘, depois de uma grande festa para acabar com o ‘chuchaqui4‘ e dar assim, início ao tour gastronômico (cazuela, ceviche, bolón, guatita, caldo de salchicha, bandera, etc) própio desta cidade.

E o mais importante: o calor humano, a alegria, a solidariedade dos guaiaquilenhos5 que lhe passarão a sensação de ‘estar em casa’.

Melhor deixar de ler, não esperem que lhe falem dela e venha conhecê-la!

Vocabulário
1 Guaiaco(a): Guayaquilenho(as);
2 Jerga: linguagem particular e familiar que utilizam entre si os integrantes de um certo grupo social; jargão;
3 Encebolado: sopa de pescado que contem mandioca e cebola colorida em conserva;
4 Chuchaqui: ressaca;
5 Guayaquileño: gentílico para os nativos de Guaiaquil.

Anúncios

Blumenau, a capital brasileira da cerveja (parte I)

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

Blumenau, uma cidade de médio porte de Santa Catarina, é mais conhecida como a cidade da Oktober Fest brasileira, assim como Munique é na Alemanha. Isso tudo não é por acaso, a região do vale do rio Itajaí tem uma forte presença de ascendência germânica.

Blumenau

A cidade possui alguns pontos turísticos interessantes que fazem valer a pena uma visita de um ou dois dias mesmo fora da época de festas. A arquitetura é algo que salta aos olhos por ter inspiração tedesca e alguns edifícios muito bem conservados.

Blumenau - Arquitetura européiaBlumenau - Arquitetura européia

A catedral é uma obra imponente, erguida com granito vermelho, decorada com exuberantes vitrais e um curioso batistério localizado fora da nave (o primeiro que vi dessa maneira), cujas colunas em mármore e paredes formadas por vitrais dão um charme singular à construção.

Blumenau - Catedral

A praça Heráclito Luz é tem um paisagismo ótimo e abriga o Museu da Cerveja, que conta a história da bebida alcoólica mais consumida do mundo e exibe diversos equipamentos utilizados no passado. Em frente à praça encontra-se a Fundação Cultural de Blumenau.

Blumenau - Praça Heráclito Luz
Blumenau - Processo de fabricação de cervejaBlumenau - Produção de cerveja

O Museu da Família Colonial, com seus ambientes que retratam a vida nos últimos dois séculos de famílias blumenauenses, e o parque Edith Gaertner são um refúgio ainda mais calmo que a cidade. Uma curiosidade do parque é o Cemitério de Gatos, no qual foram enterrados mais de cinquenta gatos, dos quais apenas nove túmulos foram conservados após a última restauração.

Blumenau - Museu da Colonial da FamíliaBlumenau - Cemitério dos gatosBlumenau - Parque Edith Gaertner

A cidade é formosa, tem alguns atrativos para uma visita em qualquer época do ano, mas o que realmente chama a atenção e o período em que recebe mais visitas é durante a Oktober Fest, a celebração ocorre em outubro por dezenove dias (originalmente eram dezessete) e tem a apresentação de bandas locais e alemãs.

Blumenau - Oktoberfest

Há desfiles nos quais diversos grupos apresentam-se em suas bicicletas articuladas de 10, 15, 20 lugares, fazem acrobacias, tocam numa fanfarra e tomam muito chopp. A farra é bem democrática e envolve pessoas de todas as faixas etárias, sendo que durante todos os dia e também nas noites de dias úteis há a presença maciça de famílias inteiras, já nas noites do fim de semana há mais jovens, vários deles ébrios além da recomendável.

Visite a capita brasileira de cerveja, especialmente no mês de outubro! Este ano será minha quarta edição seguida na Oktober Fest, sobre a qual haverá um artigo exclusivo.