Macapá, uma cidade, dois hemisférios

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

Macapá é uma palavra de origem indígena que quer dizer lugar de muitas bacabas (um tipo de palmeira da região). Esta talvez tenha sido a cidade que mais me surpreendeu no Brasil, pelo movimento que vi nas ruas e pelos atrativos que possui.

Macapá

A cidade tem o incrível Museu Sacaca, nomeado assim em homenagem ao curandeiro local Raimundo dos Santos Souza, vulgo Sacaca. Este museu possui um acervo de muito atraente que propicia ao visitante o contato com representações de ocas de diversas tribos indígenas, de casa de ribeirinhos, de um barco como o que era utilizado por mercadores no passado, de montagens que contam sobre os minerais, a fauna e flora local.

SacacaOca - Museu Sacaca
Regatão - Museu SacacaRibeirinha - Museu Sacaca
linhaembranco

Outro ponto interessante é a Fortaleza de São José de Macapá, localizada na margem esquerda do Rio Amazonas desde 1764, ano de sua construção. Hoje o museu abriga exposições diversas, além do próprio acervo. O entorno da fortaleza é utilizado hoje como praça de eventos, na qual ocorrem apresentações musicais, sendo que na ocasião vi o ótimo show de uma cantora local, Lia Sophia.

Fortaleza de São José

Entrada da Fortaleza de São José

Fortaleza de São José

Maquete da Fortaleza de São José

Fortaleza de São José

linhaembranco

O espavento maior foi saber que Macapá tem uma cidade do samba para abrigar até 5 escolas de samba, próximo da qual está o sambódromo.

Sambódromo

Cidade do Samba

Por fim, não poderia deixar de falar do Marco Zero do Equador, monumento que demonstra exatamente onde passa a linha do equador, onde se pode estar nos dois hemisférios do mundo ao mesmo tempo.

Marco Zero

Resta dizer que o povo macapaense foi muito acolhedor e que certamente quero voltar, mas com o objetivo de chegar ao Oiapoque, o fim do Brasil (ou seria começo?).

Anúncios