Praia Grande, nem praia nem grande

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

Praia Grande é um município limítrofe que pertence ao estado de Santa Catarina e faz divisa com as cidades sul riograndense de Mampituba (antiga Rua Nova) e Cambará do Sul.

Chegada a Praia Grande

Praia Grande está cercada pelos cânions do Parque Nacional Aparados da Serra, onde foi gravada a minissérie “global” “A casa das sete mulheres” e que possui diversos cânions, dentre os quais o mais famoso é o Cânion do Itaimbezinho (do Tupi-Guarani, “ita” = pedra e “Ai’be” = afiada), este nome é fiel à característica das pedras do local, que são como lâminas, sendo que minha mãe foi vítima de uma delas após um passo em falso em um outro cânion adjacente. A parte inferior dos Cânions pertence à Santa Catarina e a superior ao Rio Grande do Sul (Cambará do Sul).

Vista aérea do Cânion do ItambezinhoCachoeira Cânion do Itaimbezinho IPlaca Parque Nacional Aparados da SerraTempo nublado no Cânion do Itambezinho

A trilha do rio do Boi é a que segue entre as imensas paredes do cânion do Itaimbezinho, onde é possível observar a natureza em todo seu esplendor, onde todos ficam boquiabertos ante as colossais paredes de 700 metros de altura que ladeiam o rio. Cachoeiras impressionantes despencam e moldam a paisagem a milhões de anos.

A trilha é pesada, leva mais de 6 horas de caminhada com breves paradas para banhos e observações e exige cerca de 30 travessias pelo leito pedregoso do rio, sendo que as últimas já são com água acima da cintura. O inacreditável de tudo foi chegar ao final de trilha poucos segundos antes de o tempo fechar e começar uma chuva que nos acompanhou durante toda a volta.

Cachoeira Cânion do Itaimbezinho IIICachoeira Cânion do Itaimbezinho IVCachoeira Cânion do Itaimbezinho VCânion do ItaimbezinhoMorro na trilha do Rio do Boi

Há passeios por outros cânions da região, o segundo mais famoso é o cânion Fortaleza, que é o maior de todos, e que é imprevisível em relação à visibilidade, além de ser de mais difícil acesso pelas precárias estradas de terra da região.

O passeio da Pedra Branca também é interessante pois oferece uma vista de toda a planície abaixo dos cânions.

Ponte para Pedra Branca Praia GrandeEu na Pedra Branca Praia GrandeAranha na Pedra Branca Praia Grande

A cidade não tem muitos atrativos dos naturais, mas a igreja de lá chamou-me a atenção, pois tinha muitas plantas e uma decoração singela e muito aconchegante, diferente da ostentação áurea descabida de outras mais famosas.

Fachada da Igreja de Praia GrandeIgreja de Praia Grande

A viagem teve direito a Cover de Roberto Carlos num dos ônibus que tomei e a espera pela virada de ano em volta da fogueira com o pessoal do Albergue da Juventude Nativos do Cânion, da família Rosa, que fazem seus hóspedes sentirem-se seus amigos.

Albergue da Juventude Nativos do CânionFogueira de ano novo

Os amantes da natureza tem que visitar este lugar, sem sombra de dúvidas! e digo mais, é um dos lugares mais belos que já vi em minha vida!!!

Anúncios

Porto Alegre, ‘Bah’ uma cidade ‘Tri Afudê’ (parte I)

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

Porto Alegre, ou simplesmente POA, é a capital mais meridional do Brasil, na qual passei ótimos dias em minhas duas passagens por lá.

Adorei os vários parques que existem pela cidade, principalmente pelo fato deles não possuírem grade em sua volta, o que torna o clima mais amigável, favorecendo a interação entre as pessoas e o respeito à ‘coisa pública’ (que deve ser cuidada ao invés de isolada).

O centro da cidade guarda edifícios belíssimos como a atual Casa de Cultura Mario Quintana, o Mercado Municipal, o MARGS (Museu de Artes do Rio Grande do Sul) e a Usina do Gasômetro. Esta última fica à beira do Guaíba (ainda não descobri se é um lago ou um rio), onde pode-se observar um belíssimo pôr-do-sol!

Casa de Cultura Mário QuintanaUsina do GasômetroJardim da Casa de Cultura Mario Quintana
Pôr-do-sol no Guaíba

A praça Marechal Deodoro é o centro dos poderes do estado, com o Palácio da Justiça, o Palácio Farroupilha e o Palácio Piratini, sendo os dois últimos as sedes dos Poderes Legislativo e Executivo, respectivamente. A praça conta ainda com o Teatro São Pedro e a Catedral Metropolitana. Há ainda um segredo entocado no Palácio Farroupilha, que é o Solar dos Câmara, a primeira residência mais antiga da cidade e um retrato da oligarquia gaúcha do século XIX, que hoje é um charmoso espaço para exposições.

Praça Marechal DeodoroTeatro São PedroPalácio PiratiniCatedral Metropolitana de Porto Alegre

Após um dia todo de passeios culturais pelo centro, a perambulação deve seguir pela sorveteria Jóia com seu mega-sorvete (deve ser feito por engenheiros!)  e, obrigatoriamente, acabar na Rua Lima e Silva, onde está concentrada boa parte dos bares da cidade, dos quais destacam-se o ‘Dirty Old Man’ com seus ótimos e baratos drinks, a Toca da Coruja com suas cervejas artesanais em garrafas similares às de remédios das farmácias com ‘ph’ e o Dombah com seus quatro ambientes (destaque ao Piano Bar) e encontros do Couch Surfing nas quintas-feiras, finalizando com a hospedagem nesta mesma rua, no Hostel Casa Azul, que também possui um barzinho bacana.

Para quem pergunta o que eu fui fazer em Porto Alegre, vale uma lida!! E olhem que tem muito mais para dizer…