Blumenau, a capital brasileira da cerveja (parte I)

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

Blumenau, uma cidade de médio porte de Santa Catarina, é mais conhecida como a cidade da Oktober Fest brasileira, assim como Munique é na Alemanha. Isso tudo não é por acaso, a região do vale do rio Itajaí tem uma forte presença de ascendência germânica.

Blumenau

A cidade possui alguns pontos turísticos interessantes que fazem valer a pena uma visita de um ou dois dias mesmo fora da época de festas. A arquitetura é algo que salta aos olhos por ter inspiração tedesca e alguns edifícios muito bem conservados.

Blumenau - Arquitetura européiaBlumenau - Arquitetura européia

A catedral é uma obra imponente, erguida com granito vermelho, decorada com exuberantes vitrais e um curioso batistério localizado fora da nave (o primeiro que vi dessa maneira), cujas colunas em mármore e paredes formadas por vitrais dão um charme singular à construção.

Blumenau - Catedral

A praça Heráclito Luz é tem um paisagismo ótimo e abriga o Museu da Cerveja, que conta a história da bebida alcoólica mais consumida do mundo e exibe diversos equipamentos utilizados no passado. Em frente à praça encontra-se a Fundação Cultural de Blumenau.

Blumenau - Praça Heráclito Luz
Blumenau - Processo de fabricação de cervejaBlumenau - Produção de cerveja

O Museu da Família Colonial, com seus ambientes que retratam a vida nos últimos dois séculos de famílias blumenauenses, e o parque Edith Gaertner são um refúgio ainda mais calmo que a cidade. Uma curiosidade do parque é o Cemitério de Gatos, no qual foram enterrados mais de cinquenta gatos, dos quais apenas nove túmulos foram conservados após a última restauração.

Blumenau - Museu da Colonial da FamíliaBlumenau - Cemitério dos gatosBlumenau - Parque Edith Gaertner

A cidade é formosa, tem alguns atrativos para uma visita em qualquer época do ano, mas o que realmente chama a atenção e o período em que recebe mais visitas é durante a Oktober Fest, a celebração ocorre em outubro por dezenove dias (originalmente eram dezessete) e tem a apresentação de bandas locais e alemãs.

Blumenau - Oktoberfest

Há desfiles nos quais diversos grupos apresentam-se em suas bicicletas articuladas de 10, 15, 20 lugares, fazem acrobacias, tocam numa fanfarra e tomam muito chopp. A farra é bem democrática e envolve pessoas de todas as faixas etárias, sendo que durante todos os dia e também nas noites de dias úteis há a presença maciça de famílias inteiras, já nas noites do fim de semana há mais jovens, vários deles ébrios além da recomendável.

Visite a capita brasileira de cerveja, especialmente no mês de outubro! Este ano será minha quarta edição seguida na Oktober Fest, sobre a qual haverá um artigo exclusivo.

Anúncios

Praia Grande, nem praia nem grande

Traduzido por Roxana M. Q. Fernández

Praia Grande é um município limítrofe que pertence ao estado de Santa Catarina e faz divisa com as cidades sul riograndense de Mampituba (antiga Rua Nova) e Cambará do Sul.

Chegada a Praia Grande

Praia Grande está cercada pelos cânions do Parque Nacional Aparados da Serra, onde foi gravada a minissérie “global” “A casa das sete mulheres” e que possui diversos cânions, dentre os quais o mais famoso é o Cânion do Itaimbezinho (do Tupi-Guarani, “ita” = pedra e “Ai’be” = afiada), este nome é fiel à característica das pedras do local, que são como lâminas, sendo que minha mãe foi vítima de uma delas após um passo em falso em um outro cânion adjacente. A parte inferior dos Cânions pertence à Santa Catarina e a superior ao Rio Grande do Sul (Cambará do Sul).

Vista aérea do Cânion do ItambezinhoCachoeira Cânion do Itaimbezinho IPlaca Parque Nacional Aparados da SerraTempo nublado no Cânion do Itambezinho

A trilha do rio do Boi é a que segue entre as imensas paredes do cânion do Itaimbezinho, onde é possível observar a natureza em todo seu esplendor, onde todos ficam boquiabertos ante as colossais paredes de 700 metros de altura que ladeiam o rio. Cachoeiras impressionantes despencam e moldam a paisagem a milhões de anos.

A trilha é pesada, leva mais de 6 horas de caminhada com breves paradas para banhos e observações e exige cerca de 30 travessias pelo leito pedregoso do rio, sendo que as últimas já são com água acima da cintura. O inacreditável de tudo foi chegar ao final de trilha poucos segundos antes de o tempo fechar e começar uma chuva que nos acompanhou durante toda a volta.

Cachoeira Cânion do Itaimbezinho IIICachoeira Cânion do Itaimbezinho IVCachoeira Cânion do Itaimbezinho VCânion do ItaimbezinhoMorro na trilha do Rio do Boi

Há passeios por outros cânions da região, o segundo mais famoso é o cânion Fortaleza, que é o maior de todos, e que é imprevisível em relação à visibilidade, além de ser de mais difícil acesso pelas precárias estradas de terra da região.

O passeio da Pedra Branca também é interessante pois oferece uma vista de toda a planície abaixo dos cânions.

Ponte para Pedra Branca Praia GrandeEu na Pedra Branca Praia GrandeAranha na Pedra Branca Praia Grande

A cidade não tem muitos atrativos dos naturais, mas a igreja de lá chamou-me a atenção, pois tinha muitas plantas e uma decoração singela e muito aconchegante, diferente da ostentação áurea descabida de outras mais famosas.

Fachada da Igreja de Praia GrandeIgreja de Praia Grande

A viagem teve direito a Cover de Roberto Carlos num dos ônibus que tomei e a espera pela virada de ano em volta da fogueira com o pessoal do Albergue da Juventude Nativos do Cânion, da família Rosa, que fazem seus hóspedes sentirem-se seus amigos.

Albergue da Juventude Nativos do CânionFogueira de ano novo

Os amantes da natureza tem que visitar este lugar, sem sombra de dúvidas! e digo mais, é um dos lugares mais belos que já vi em minha vida!!!